+50 e a Tecnologia

Por Claudia Nascimento

Uma incompatibilidade aparece nesse título: pessoas com 50 anos ou mais e a tecnologia?

Bem, pelo menos foi o que sempre pensei a respeito do tema e tenho 53 anos. Demorei a me envolver com tudo que tivesse mais de um botão, afinal sempre tive mil coisas pra fazer e aprender a utilizar todos os recursos disponíveis em novas TVs, computadores, celulares nunca fez parte das minhas necessidades além disso, eles mudam tão rápido que quando dominava um celular já estava velho e desatualizado.

Estou recomeçando minha vida agora, separada, tive que encontrar um novo caminho e sozinha. O que isso tem a ver com a tecnologia? Tudo. Comecei a estudar novamente ano passado, fiz um curso de Inbound Marketing porque ao ler sobre o conteúdo achei bem interessante: um marketing que se relaciona com as pessoas? Vou fazer, talvez consiga trabalhar com isso na minha cidade, interior de SP, pequena, 80.000 habitantes. Mas esse curso foi como se uma porta tivesse se aberto, não parei mais de estudar a respeito e estou fazendo outro curso, de Marketing Digital onde comecei a descobrir o que realmente a tecnologia pode fazer e é muito mais do que encher o controle remoto da TV de botões que nunca sabemos pra que serve.

O que mais me deixa feliz é descobrir que com a tecnologia podemos multiplicar o número de pessoas atendidas por um produto ou serviço, alguns gratuitamente ou a preços acessíveis. Essas descobertas me levaram a livros, matérias, blogs, palestras que nunca antes tinha pensado participar. Um dos livros que achei maravilhoso chama-se O Poder do Hábito. Explica de forma fácil e clara porque é tão difícil mudar hábitos e tão fácil consegui-los, mesmo que sejam péssimos. Muito simplificadamente é isso: nosso cérebro gasta uma usina de energia cada vez que trabalha em aprender algo, então sempre busca repetir o que já sabe ou encontrar algo parecido em nossa memória.

Por tanto temos uma explicação para nossa dificuldade em aprender novas tarefas. Sim, ela existe mesmo. Os jovens apenas veem um teclado e deduzem como usá-lo e como jovem podem colocar as crianças de 2 anos que nos fazem sentir um dinossauro quase extinto. Nós avós vivemos falando sobre os netos que desbloqueiam o celular, entram no whatasapp, ligam pra quem querem e não foram alfabetizados. Será que são diferentes? Tenho minha teoria: quando eu era criança, ninguém nunca me ensinou a subir em árvore, pular corda, andar de bicicleta ou mesmo cozinhar, sabíamos como fazer porque o entorno era esse e aprendíamos todos os dias vendo e ouvindo os outros. Atualmente as crianças não estão no quintal e nem na rua, estão dentro de suas casas cercadas por pessoas que teclam o dia inteiro em alguma coisa e todo esse ambiente torna o aprender intuitivo.

Espero que você que está lendo e não tem +50, indique essa coluna pra todos os +50 que conhece. Certamente nos divertiremos muito por aqui além de nos ajudarmos a perder o medo de usufruir das coisas boas que tecnologia pode nos trazer.

Lembre-se: somos a geração que teve sarampo, catapora, caxumba, rubéola  e não usávamos cinto de segurança pra andar de carro, simplesmente porque não existia. Isso só pra te encorajar.

As 3 maneiras para testar suas ideias de negócio

Por: Bruno Perin

Deve estar acontecendo com grande frequência, mas você possivelmente está notando cada vez mais oportunidades no mercado. Mesmo pessoas já com a veia empreendedora que fazem isso propositalmente, até pessoas que nem estão pensando no assunto, acabam percebendo problemas no mercado que caberiam soluções interessantes.

Essa explosão empreendedora está ativando a nossa mente, notamos que é exponencial a quantidade de pessoas que notam situações inconvenientes do mundo e resolvem tenta fazer algo a respeito.

Ok, falando assim, até parece muito fácil não é? Mas, desde o passo de perceber, estudar a situação, desenhar uma boa alternativa e até lançar um negócio a brincadeira fica um pouquinho mais complicada.

Isso é verdade, porém, temos uma facilidade hoje em dia muito distinta – formas de testar sua ideia. O que antes era bem mais difícil, o processo de perceber uma oportunidade e até lançar algo, hoje temos um meio termo, que visa saber um pouco antes se vale a pena ou não continuar nessa jornada – teste de conceito (o nome mais usual) ou apenas verificar se a sua ideia é boa ou não.

Antes de passar 3 dicas de como você pode testar a sua ideia é necessário estar atento a uma coisa – Deixe-a redonda. Isso quer dizer, tenha certeza que as pessoas compreendem o que você quer fazer. Eu diria que esse é um pré-passo, pois não adianta você querer testar sua ideia sem ela estar apta a ser compreendida.

Você pode desenhar e explicar há alguns amigos mais críticos ou até familiares se eles realmente entenderam, quanto mais as pessoas forem de áreas diferentes do que a sua ideia se propõe, melhor é para testar o quão clara ela é…

Partindo do ponto de vista que você tem agora essa ideia bem desenhada, o que fazer?

Lance uma Landing Page

Para os não familiarizados com o termo, quer dizer apenas uma página estática na internet, daquelas que nem rolam, apenas salientando o que é a sua ideia e pedindo o contato de pessoas que tenham interesse quando ela for lançada.

Essa é a tática mais usual, pois é extremamente simples e ajuda a perceber quantas pessoas estão dispostas a deixar seus contatos a fim de saber mais sobre a sua futura Startup.

Oferecer um mimo ajuda. Por exemplo se a pessoa deixar o contato ela vai receber um vídeo falando mais sobre o assunto, ou um e-book, isso aumentará o número de pessoas interessadas na questão.

Converse em grupos

Essa é uma ação que normalmente gera medo, mas os ganhos são geralmente maiores. Os futuros empreendedores pensam que ao expor sua solução, algumas pessoas poderão querer roubar e fazer por si só algo. Na verdade, isso raramente acontece, as pessoas normalmente já têm suas ideias e ambições, então elas dificilmente largaram as coisas delas para tentar a sua, sem falar que, quando as pessoas copiam algo é o que já está tendo sucesso.

Assim, soltar a ideia em grupos tende a não gerar roubos e sim boas sugestões e conexões. Colocar em grupos de discussão no facebook, linkedin e até outros fóruns de debates ajuda a perceber o interesse das pessoas no assunto e até suas grandes aspirações. Existe grupo de tudo na internet hoje, portanto é questão de achar e interagir neles para avaliar o potencial disso que está pensando.

Faça uma oferta

Essa é a forma mais concreta digamos assim de testar, mas também a mais ousada – você já oferecer algo. O mais comum é as pessoas usarem o crowdfunding (financiamento coletivo) em que você pode colocar uma oferta e sua meta para ela e assim, caso conseguir o número estipulado de pessoas, você fará seu negócio acontecer, caso não atingir você simplesmente entenderá que o mercado pode não estar interessado.

Você também pode fazer isso com uma Landing Page ou um site bem simples apenas apresentando a proposta, ainda que a plataforma de crowdfunding seja mais adequada.

A questão é que você já oferecendo algo conseguirá compreender se as pessoas estão mesmo dispostas a pagar por isso ou não. Veja que na dica 1, de apenas fazer a Landing Page você percebe a intenção, mas isso pode não virar em compra, aqui o teste já é mais efetivo, as pessoas pagarão mesmo pelo o que você quer…

Essas 3 dicas são ótimas para você verificar rapidamente se a sua ideia tem potencial ou não. Imagine que as pessoas já poderão mostrar sua intenção, fazerem perguntas e até comentarem seus maiores desejos referentes aquilo que você vai lançar. E sem falar, que com isso, você não precisa gastar tanto tempo, dinheiro e energia para perceber se o negócio parece bom ou não.

Espero que suas ideias venham logo para o mundo, mas testa-las poderá dar ainda mais inspiração e confiança para fazê-las acontecer… Bora tirar elas da sua mente e testa-las nesse  mercado!

Como construir um super time de Startup

 

Por: Bruno Perin

Ideias brilhantes, bem na real tiveram pessoas brilhantes que conseguiram executar um insight inicial e através do percurso empreendedor foram encontrando o caminho até esse grande negócio. O fato é que apenas equipes de elite são capazes de fazer isso.

Geralmente as pessoas que empreendem em primeira viagem não entendem a importância dessa questão até começarem a sofrer muito e ver que faltam pessoas diferenciadas ao seu lado para ajudar a cruzar as barreiras e enquanto a ampulheta de tempo, energia e dinheiro está correndo.

Caso você esteja pensando se a sua ideia é boa e quer saber como avaliar a sua ideia, veja esse vídeo aqui… Agora bora continuar.

Abaixo um tem um Guia para lhe ajudar em cada etapa e cuidados que você dever.

“A EXCELÊNCIA DE GRANDES NEGÓCIOS É REFLEXO DA EQUIPE, NÃO DA IDEIA.”

O QUE VOCÊ TEM A OFERECER:

É preciso ter muito claro o que você pode ofertar as pessoas para trazê-las a equipe, essa por sinal é sempre a primeira pergunta que as pessoas lhe faram quando receberem o convite, ou talvez até tenham vergonha de serem descaradas e saírem questionando assim, mas elas estarão pensando nisso. Portanto, ter claro o que você tem para negociar facilita para você conseguir saber até onde pode e deve ir nas negociações.

DINHEIRO – é fator numero um, claro que geralmente a galera começando tem muito pouco, beirando o quase nada de grana para oferecer. Então é fundamental deixar claro o quanto pode pagar de salário, se existe um salário fixo com bônus. As pessoas quando vão para Startups sabem que salários são menores que o mercado, mas na expectativa que no futuro isso poderá se reverter se o negócio engrenar, elas vão querer entender um pouco a projeção disso.

PARTICIPAÇÃO – é a maior moeda que as Startups têm, pois a pessoa entra na participação e isso significa sociedade, vocês estarão junto na boa e na ruim. Os humanos só pensam na boa, mas muitas vezes a coisa não vai bem e estarão juntas na ruim. Muitas pessoas com participação tem probabilidade maior de gerar grandes conflitos e lembrando também que isso gera algumas questões complexas na hora de saída, ou se alguém fizer bobagem. Portanto é imprescindível ter muito cuidado a quem se oferece a porcentagem de participação e as responsabilidades que essa pessoa tem.

CURRICULO – jovens que estão em inicio de carreira, ainda na faculdade querem muito aprender, boas atividades que podem fazer e colocar no currículo são de grande auxilio a sua jornada. Além de carta de recomendação e coisas assim que lhe ajudem a valorizar sua história profissional podem ser interessantes para ingressarem na equipe.

ESTRUTURA – algumas pessoas não tem estrutura para trabalhar e aceitam dispor do seu conhecimento e energia em troca de poderem usufruir do lugar. É um pouco mais difícil essa, pois as pessoas tendem a não terem tanto tempo e energia para dispor ao seu negócio, pois estão com foco em outros planos, mas ainda assim pode ser uma alternativa.

NÃO ESQUEÇA QUE TODAS AS PESSOAS QUE ENTRAM PRECISAM SABER;

  • O que irão fazer;
  • Quais as responsabilidades;
  • Como serão cobradas;
  • Como poderão evoluir;
  • O que não podem fazer.

 

QUEM VOCÊ PRECISA:

MERCADO – quando alguém entende com profundidade do mercado a chance de criar algo que realmente tenha necessidade é muito maior. Sem contar que saberá analisar o que está acontecendo, aproveitar oportunidades e abrir portas para o negócio.   

DESENVOLVIMENTO – você vai ter que criar algo, seja o serviço ou produto, alguém precisa ser capaz de entregar isso aos clientes.

BUSINESS – é muito comum as pessoas perceberem oportunidades no mercado, mas não sabem como fazer disto um negócio. Como construir um modelo e fazer a roda girar. Pessoas que entendem disso potencializam a criação de uma empresa.

Neste inicio, essas 3 pessoas são essenciais para que você crie um protótipo, algo que possa testar sua ideia e aprender rápido com ela.

Esse vídeo lhe explica um pouco mais sobre as pessoas:

https://www.facebook.com/brunomrperin/videos/633976556798052/

OS PRÓXIMOS PASSOS:

A evolução do negócio em breve vai começar a exigir pessoas com habilidades mais especificas geralmente os próximos a entrar são:

MARKETING – quando o produto/serviço tem aceitabilidade surge a necessidade aparecer, no entanto também começasse a se notar o quão caótico e difícil está ser visto meio a tantas ofertas. Um profissional que sabe encontrar os caminhos nessa estrada é importantíssimo.

ANALISE – muitas vezes algumas pessoas de BUSINESS ou DESENVOLVIMENTO até podem saber fazer analises, mas em breve será necessário alguém que complemente com mais profundidade para que possa interpretar o que está acontecendo com os indicadores e gerar decisões mais precisas.

VENDA – é o que faz a empresa sobreviver, com o negócio girando a entrada e saída de dinheiro começará a ser uma constante e o capital é importante para que o crescimento possa existir, pessoas pensando apenas em gerar receita é parte indispensável.

FINANÇAS – Muitas vezes serviços e produtos mais simples, de valor agregado baixo têm mais entradas e saídas o que precisa de uma atenção maior nas transações. No entanto, até aqueles com valor maior e giro menor, também tem suas complexidades de credito, debito, inadimplência, e gerencialmente os salários, pró-labore e um monte de coisas que ter alguém cuidando disso começa a ser um alivio e estratégico.

Claro que muita dessas pessoas podem ser terceirizadas, mas geralmente os empreendedores no inicio tendem a ir colocando pessoas dentro da empresa, que tenham a cara dela e ajudem a construí-la.

QUE CRENÇAS SÃO VITAIS?

Você está lendo isso justamente por compreender que ideias geniais são construídas apenas por equipes geniais, portanto, para conseguir construir isso é fundamental saber o que é vital nessa equipe?

São pessoas voltadas a resultado ou a missão? São pessoas ambiciosas ou com desejos mais simples?  

“É DIFÍCIL ENCONTRAR PESSOAS, PRINCIPALMENTE QUANDO VOCÊ NÃO SABE QUEM QUER QUE ESTEJA NO SEU TIME.”

QUE CARACTERISTICAS COMPLEMENTARIAM VOCÊS?

As crenças são aquilo que vocês têm e precisam que as demais pessoas também tenham. No entanto, existem habilidades e características que podem ser muito interessantes agregarem a equipe porque ela não tem.

Vocês tem o perfil mais sonhador e precisa de alguém pé no chão para ajudar a não permitir que ousem tanto planos. Vocês são muito organizados, mas falta iniciativa. É muito bom perceber que tipo de habilidade equilibraria as coisas.

E saiba que esse é realmente um processo difícil, você vai levar algumas porradas, mas faz parte. Até esses dias falei como aprendi lidar com isso levando um soco no boxe (veja o texto aqui)

ATÉ ONDE VOCÊ VAI?

Este Guia vai lhe ajudar muito na hora de olhar para as pessoas que estão com você ou que deve buscar no mercado. Claro que são pessoas e por causa disso tem grandes chances de dar errado, departamentos gigantes às vezes de multinacionais, com super especialistas e softwares as vezes erram nas contratações, imagine nós rsrsrs Mas, que isso não sirva de justificativa para não levar a sério como a situação merece. Teríamos muito menos fracassos no empreendedorismo se as pessoas levassem mais a sério a construção das equipes.

Espero que você dê ainda mais atenção a isso e construa um time de elite para o seu negócio.