Na verdade – você precisa conhecer!

O site “Na verdade” nasceu de algo que me incomodava, mas depois descobri que várias amigas e conhecidas sentiam o mesmo. Quando eu ouvia generalizações do tipo “mulheres não são boas em exatas”, ou “não sabem liderar”, nem sempre tinha dados suficientes para rebater estes comentários. Claro, essas informações podem ser encontradas no Google e na Wikipédia, mas até achar os links relevantes, ler e filtrar o conteúdo… a conversa já tinha seguido. Por isso, muitas vezes eu tinha que deixar o assunto para lá. O problema é que fazendo isso, deixando para lá, estas generalizações seguem aparecendo. Acabamos contribuindo para um discurso que limita as mulheres.

Pensando nisso, o “Na verdade” reúne uma série de fatos que desfazem este senso comum. Eles estão organizados em cards, com links para os artigos, pesquisas ou papers originais, e que (no celular) podem ser enviados diretamente por WhatsApp caso a pessoa queira saber mais. Tudo fácil de encontrar, para que a resposta venha rápido. Você interrompe a fala estereotipada com um “na verdade…“ e mostra os fatos.

A página foi criada dentro do Reprograma, uma iniciativa incrível que capacita mulheres com o objetivo de aumentar nossa participação na indústria da tecnologia. O “Na Verdade” foi minha entrega final para o Reprograma, e está só no comecinho: elaborei o projeto em uma semana e montei em três dias. Quero ampliar o conteúdo e tornar o acesso às informações cada vez mais fácil e instantâneo (meu sonho é transformar o “Na verdade” em um chatbot). Pode parecer pouca coisa, mas acredito que as palavras têm poder e queria usá-las para elevar, em vez de diminuir. Nós mulheres já brigamos tanto por nosso espaço, é importante que o que se fala para a gente e sobre a gente nos dê o valor e respeito que merecemos.

Conheça aqui, ó: https://apdsrocha.github.io/reprograma/

Por Ana Paula Rocha  [apdsrocha@gmail.com]

Estágio no Goldman Sachs Brasil

Convidamos você para um networking com os funcionários das diferentes áreas do Goldman Sachs Brasil que atuamente estão com vagas de estágio abertas:
• Finance
• Global Investment Research
• Intern Audit
• Operations
• Securities (Sales & Trending – Mesa de Operações)
• Technology

Você terá a oportunidade de entender mais sobre o dia a dia, desafio e carreira nessas áreas e assim poder escolher com qual dela mais se identifica.

Como se inscrever para as vagas de estágio:
Registre-se até o dia 30 de novembro de 2016 através do site www.gs.com/careers selecionando as seguintes opções:
• Students and Graduates: Apply now (2x); Position: Other Internship and Work Placements, Seasonal / Off Cycle Internship; Location: São Paulo: Division: [divisions you’ve chosen]

Participe a sessão informativa sobre o Programa de Estágio no Goldman Sachs!
Quarta-feira, 23 de novembro de 2016, às 18h.
Goldman Sachs – Infinite Building – Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 16º Andar, Itaim Bibi, São Paulo.

girls4tech

Mastercard traz programa Girls4Tech ao Brasil para despertar o interesse de meninas por tecnologia

Com conteúdo voltado aos setores de ciência, tecnologia, engenharia e matemática, atividade realizada com estudantes da rede pública busca fomentar o talento de meninas por áreas ainda predominantemente masculinas.

Atividades serão realizadas no Cubo Coworking Itaú com baterias de criptologia, convergência digital e algoritmos

 

A Mastercard traz pela primeira vez ao Brasil o programa Girls4Tech, idealizado há dois anos pela companhia. O objetivo é estimular o interesse de meninas de 9 a 11 anos pelas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática – conhecidas em inglês pela sigla de STEM.  A série de atividades será realizada no dia 04/11, das 08h às 13h, no Cubo Coworking Itaú (Rua Casa do Ator, 919, Vila Olimpia, em São Paulo).

Ao todo, 45 meninas participarão da ação, que terá três baterias contendo exercícios de criptologia, algoritmos e convergência digital, realizadas por meio de elementos lúdicos que fazem alusão às ações realizadas por profissionais no cotidiano. Ao final do período, haverá uma breve seção de codificação, simulando uma ação real de programação.  As atividades, que terão mentoria de funcionários da Mastercard, também contarão com a presença de Camila Achutti, Chief Technology Officer, fundadora da Mastertech e líder do blog Mulheres na Computação.

“A Mastercard globalmente promove iniciativas para incentivar a presença feminina no setor de tecnologia. O Girls4Tech é apenas um dos exemplos. O programa tem o objetivo de despertar o interesse pelas ciências e mostrar para as estudantes que é possível ter uma carreira nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática, um universo ainda predominantemente masculino. Até agora, o programa já chegou a mais de 5000 garotas em 11 países”, declara Patrícia Bastos, Diretora de Comunicação da Mastercard Brasil e Cone Sul.

As áreas conhecidas como STEM geram capacidade de pesquisar, projetar e inventar soluções que se tornam indispensáveis para sobreviver no Século XXI.  No entanto, o panorama brasileiro e mundial mostra a necessidade de se investir mais em educação infanto-juvenil voltada a ciência. De acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), que analisa a educação em 65 países no mundo, em 2015 mais da metade dos jovens de 15 anos eram analfabetos funcionais e não tinham competências em áreas como matemática e ciências. No Brasil, 58º colocado da avaliação, 67,1% dos alunos pesquisados estão abaixo do nível 2 em matemática, em uma escala que vai até o nível 6.

A situação para as meninas é ainda mais delicada pelo fator cultural, observado por especialistas como a pesquisadora norte-americana Jane Margolis. Em seu livro “Entrando no clube: mulheres na computação”, Margolis enfatiza que, desde a infância, o computador é mostrado como um “brinquedo de menino”. Não à toa, metade das famílias americanas coloca o PC doméstico no quarto do filho.