“As Mulheres e as Tecnologias” em 35 unidades do Sesc SP

O Sesc SP escolheu o mês de setembro para propor uma intensa programação que promove o fortalecimento e a valorização da autonomia feminina. Ao reunir 116 atividades no projeto “As Mulheres e as Tecnologias”, a instituição dá visibilidade ao trabalho já desenvolvido por mulheres nas áreas da ciência, artes e alta tecnologia.  As oficinas, cursos, palestras e bate-papos, que serão realizados até 30 de setembro em 35 unidades da capital, interior e litoral do estado de São Paulo, consolidam uma programação cada vez mais igualitária, representativa e diversa.

A ampla programação reflete a vocação do Sesc em atuar com diversidade e pluralidade, proporcionando atividades para várias faixas etárias, com sua política de educação não-formal, em uma programação majoritariamente gratuita. Os ETAs, que já realizam atividades relacionadas à tecnologia e arte para o público em geral durante todo ano, recebem no mês de setembro uma programação especial feita por mulheres para mulheres, destacando o exercício da autonomia feminina.

As ações serão realizadas nas salas-laboratórios do ETA – Espaços de Tecnologias e Artes – área do Sesc que se dedica às práticas educativas e de desenvolvimento artístico que utilizam suportes tecnológicos e/ ou digitais. As atividades misturam processos e materiais de alta tecnologia com ferramentas manuais, explorando possibilidades em áreas como audiovisual, design, games, fotografia e editoração, passando pela marcenaria e reparos domésticos.

Para potencializar estas vivências, o Sesc convidou mulheres representativas dos cenários de tecnologia, audiovisual, fotografia, discotecagem e do segmento faça você mesmo para trocar experiências com as participantes. O evento é uma oportunidade para o público ter contato com grandes histórias e grandes mulheres.

“Os Espaços de Tecnologias e Artes do Sesc são o lugar da criatividade e da diversidade. Recebemos todo tipo de público interessado em cursos e oficinas relacionados ao universo do fazer, da mão na massa. Contamos com a participação de um crescente público feminino. No entanto, temos percebido  que não basta apenas incentivar a participação de meninas e mulheres nessas atividades como também estabelecer um ambiente em que elas se sintam representadas e que transmita segurança para que elas possam expor suas dúvidas, experimentar técnicas, discutir e construir coisas que lhes interessam.” Juliana Braga, gerente de Artes Visuais e Tecnologias do Sesc SP.

 

• Programação Completa:

Capital e Grande São Paulo

 

 

Sesc 24 de Maio

Debates

Cultura DJ – As mulheres atrás das pick-ups

Cientista social e pesquisadora musical, a DJ Julia Weckelman apresenta a pesquisa que fez em maio de 2018 com Mulheres DJs de diversas cenas, idades e regiões do Brasil, e convida para um bate-papo três DJs que trarão suas experiências e percepções sobre ser mulher no universo da discotecagem. Com Sônia Abreu, conhecida como a primeira mulher DJ do Brasil, Vivian Marques, DJ ligada ao hip-hop e black music, que fomenta a atividade através de cursos e oficinas voltadas às mulheres, e Amanda Mussi, produtora musical e DJ da cena queer e eletrônica;

15/9, sab, das 15h às 17h.

 

Futuros Possíveis

Quatro mulheres encaram o desafio de pensar o futuro e compartilhar suas pesquisas e práticas, relacionando gênero, mercado de trabalho, tecnologias e artes.

Com Lídia Zuin, pesquisadora de semiótica, artes visuais, inovação e futurismo; Fabiane M. Borges, pesquisadora de arte, tecnologia e subjetividade, com foco em tecnoxamanismo; e Joana Mendes, redatora publicitária, pesquisa a relação entre feminismo, raça e publicidade. A mediação é da futurista Vanessa Mathias, fundadora da White Rabbit.

30/9, dom, das 15h às 17h

 

Oficinas

Skecthbook Digital: Pintura digital em dispositivos móveis

Aula aberta voltada à experimentação de pintura digital criada com o uso de aplicativos em dispositivos móveis, como tablets e smartphones.

Com Tatiane Colevati, artista plástica, especialista em História da Arte, Mestra em Artes Visuais e educadora de Tecnologias e Artes no Sesc SP

5, 6 e 15/9, qua, qui e sab, das 14h às 17h | encontros independentes

14 anos | Grátis

Inscrição presenciais na unidade.

 

Marcenaria Básica PARA Mulheres e COM Mulheres

Propõe apresentar as ferramentas e as técnicas para a construção de um banco, passando por todos os processos de montagem e acabamento.

Com as Lumberjills – Fernanda Sanino e Letícia Piagentini

15, 22 e 29/9 e 6/10, sáb, das 10h às 13h | Duração: 4 encontros

18 anos | R$ 24 / R$ 12 / R$ 7

Inscrição presenciais na unidade.

 

Sesc Avenida Paulista

Cursos

 

Criação de Videoarte

Os participantes poderão conhecer as ferramentas básicas para a criação de uma videoarte, tomando conhecimento de técnicas e estéticas básicas da linguagem audiovisual para criar seus próprios trabalhos dentro dessa linguagem.

Com Lucila Meirelles, videoartista, diretora e roteirista de vídeo e TV.

Dias 15, 16, 22 e 23/9, sáb e dom, das 14h30 às 18h30 | Duração: 4 encontros

16 anos | Grátis

Inscrição no primeiro dia da atividade, a partir das 9h30, no balcão de atendimento do 4º andar

Manda Nudes (Seguros)!

Com uma abordagem simples, o curso trabalha a segurança digital a partir da prática de enviar nudes. Apresenta alguns aplicativos e traz exemplos de táticas divertidas e acessíveis.

Com Carla Jancz, formada em Segurança da Informação, trabalha com segurança digital para o terceiro setor e com treinamento em tecnologia livres, cultura maker redes autônomas, difusão de cultura hacker e criptografia na Actantes.

29/9, sáb, das 10h às 17h

18 anos | Grátis

Inscrição no primeiro dia da atividade, a partir das 9h30, no balcão de atendimento do 4º andar

Introdução à Programação Front-end

Oficina de iniciação e programação mão na massa, apresentando o que é programação, a lógica por trás dela e como começar e continuar a sua prática. Serão abordadas também comunidades de tecnologia e a importância de projetos de código aberto (open source).

Com Carol Soares, desenvolvedora front-end e criadora do Lovelace Podcast.

30/9, domingo, das 10h às 17h

14 anos | Grátis

Inscrição no primeiro dia da atividade, a partir das 9h30, no balcão de atendimento do 4º andar

Oficinas

Sex Hacking

Encontro que propõe discutir os rumos da relação entre tecnologia e sexualidade, e apresentar meios e formas de criar os próprios aparatos tecnológicos para o prazer.

Com Rita Wu, designer, pesquisadora e artista, que trabalha com tecnologias digitais desde 2008.

15 e 16/9, sáb e dom, das 10h às 13h | encontros independentes

18 anos | Grátis

Retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência no balcão de atendimento do 4º andar

VRock360 – Acervo 360º

Apresentação do VRock360, projeto com código aberto que tem como objetivo difundir um acervo de imagens criadas em 360º de elementos arqueológicos, geológicos e arquitetônicos para fins educacionais.

Com Bruna Gonçalves, desenvolvedora de sites, idealizadora do VRock360, entusiasta da mixed reality e apaixonada por arqueologia e cavernas.

29/9, sáb, das 14h30 às 17h30

Livre | Grátis

Retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência no balcão de atendimento do 4º andar.

Sesc  Belenzinho

Cursos

IoT – Internet das coisas com Arduino

Introdução aos princípios básicos da conexão de objetos do mundo físico à internet. A atividade envolve exercícios práticos com o software App Inventor e a placa microcontroladora Arduino.

Com Vanessa Pereira, designer multimídia, mestre em Artes, idealizadora do Projeto LINCE e educadora de Tecnologias e Artes no Sesc SP.

11, 18, 25/9 e 2/10, ter, das 10h às 12h | Duração: 4 encontros

16 anos | Grátis

Inscrições presenciais na unidade. Credencial plena: 4/9. Público em geral: 7/9.

Filmes e Câmeras Fotográficas

Introdução às técnicas de fotografia com filme fotográfico e câmera 35 mm, incluindo estudos de recursos como foco, diafragma, velocidade, ISO e sensibilidade do filme.

Pré-requisito: trazer câmera fotográfica analógica com recursos manuais (câmera reflex – SLR).

Com Beth Lee, fotógrafa de produtos, laboratorista e orientadora em cursos técnicos e livres de fotografia.

12/9 a 3/10, qua, das 19h às 22h | Duração: 4 encontros

16 anos | Grátis

Inscrições presenciais na unidade. Credencial plena: 4/9. Público em geral: 7/9.

Conserto e manutenção básica de computadores

Curso para aprendizado básico sobre itens e peças que compõem os computadores e formas simples para realizar pequenos consertos.

Com integrantes do Infopreta, empresa precursora da diversidade no universo tecnológico.

18, 20, 25 e 27/9, ter e qui, das 19h às 22h | Duração: 4 encontros

16 anos | Grátis

Inscrições presenciais na unidade. Credencial plena: 4/9. Público em geral: 7/9.

Debate

Desenvolvimento de tecnologias a favor das mulheres

Priscila Gama, fundadora do Malalai, aplicativo para segurança pessoal feminina, e Maitê Schneider, criadora do TransEmpregos, plataforma que reúne vagas para pessoas transgêneros, apresentam suas experiências na criação e produção de plataformas digitais que ajudam mulheres a enfrentar questões de gênero e sexualidade. Mediação de Iana Chan, jornalista do portal PrograMaria.

13/9, qui, às 20h

16 anos | Grátis

Inscrições 30 minutos antes da atividade

Oficinas

Faxina boa: limpeza em casa e nas redes sociais

Oficina com dicas de limpeza e manutenção de equipamentos eletrônicos, além de orientações sobre como realizar divulgações profissionais nas redes sociais.

Com Verônica Oliveira, diarista e criadora das páginas Faxina Boa no Instagram e Facebook.

15/9, sáb, das 15h às 17h

14 anos | Grátis

Inscrições 30 minutos antes da atividade

Faça seu game!

Utilizando o software livre Scratch, no qual a programação das ações é feita de maneira semelhante à montagem de um quebra-cabeça, crianças poderão aprender a desenvolver seus próprios jogos eletrônicos, escolhendo personagens e sons.

Com Vanessa Pereira, designer multimídia, mestre em Artes, idealizadora do Projeto LINCE e educadora de Tecnologias e Artes no Sesc SP.

16/9, dom, das 14h30 às 16h30

8 anos | Grátis

Inscrições 30 minutos antes da atividade

Sesc  Bom Retiro

Palestra

PyLadies São Paulo: Como aprendemos e compartilhamos Python

O PyLadies São Paulo busca iniciar mulheres na prática da programação usando o Python, linguagem bastante intuitiva e simples para o primeiro contato com programação, e dar base para que as iniciadas aprofundem seus conhecimentos com diversos projetos. Esta palestra apresentará as ações do Pyladies e os conteúdos que serão desenvolvidos ao longo da oficina “Iniciação à lógica de programação com Python”.

St. Gallen Symposium: o que um protesto estudantil não faz

Quarenta e oito anos atrás 5 estudantes da St. Gallen University na Suiça, uma das mais importantes da Europa decidiu que ao invés de protestar nas ruas esvaziando a universidade como todas as universidades do mundo estavam fazendo (back to 70’s), eles iriam ocupar as salas de aula com diversidade de todos os tipos. Tinha diversidade de geração, de conhecimento, de posicionamento político, de país. Foi um sucesso e eles decidiram no primeiro ano que aquele diálogo diverso aconteceria todos os anos e que sempre estaria na mão dos estudantes. E olha a gente aqui 48 anos depois. 

Hoje o St. Gallen Symposium é uma das conferencias mais importantes da Europa e conta com o apoio das Nações Unidas, das embaixadas e governos mundiais. Mudou muito, mas na essência nada. Os alunos de St. Gallen abdicam de um ano letivo deles para organizar o evento global com suporte de Deus e mundo, mas eles decidem tudo, trabalham, organizam. É inacreditável, saber que eles não pagam por nenhuma mão de obra. Eles dirigem, servem o café, buscam no aeroporto. Eles tem um plano de 5 em 5 minutos sobre tudo que está acontecendo e deve acontecer, com o nome do responsável e o plano B. Parece brincadeira, mas não é! O valor estimado é de 9 milhões, mas eles só pagam a vinda dos Leader of Tomorrow do mundo inteiro. Já vou explicar essa parada.

ALERT! Nem vou contar muito das palestras que tem tanta coisa que eu vou separar em posts e colunas, belê!? Quero que vocês entendem o esquema e se sintam inspirados a fazer o mesmo agora!

Vamos aos detalhes que fazem de St. Gallen um MBA pelo mundo em 4 dias. Eles convidam Leaders of Today e Leaders of Tomorrow. Tem os Leader of Past, mas não é declarado!hahahhahah A educação Suíça nunca permitiria. Os do presente são empresários, líderes de organizações internacionais, governadores, vou dar exemplos para vocês entenderem: a primeira ministra de Botsuana, o ministro de desenvolvimento de Singapura, toda a galera importante das Nações Unidades, o conselheiro do Obama nos últimos governos, o dono da Forbes, a galera toda do governo da Suiça e do Canadá…só galera que já chegou lá sabe!? Aí vem a parte maluca. Eles viajam o mundo, siiiim, os alunos-organizadores pegam aviões, trens e viajam o mundo para descobrir quem está liderando mudanças e discussões relevantes em todos os cantos do mundo e para promover uma competição de ensaios sobre o futuro. Aí eles fazem mil listas e chegam com ajuda de Deus e o mundo de novo numa lista de 100 nomeações de Leaders of Tomorrow, que podem ser estudantes ou não e em uma lista de 100 estudantes  que escreveram os melhores essays. 

Aí eles colocam essas centenas de pessoas para conviver e trabalhar 4 dias juntos, numa intensidade e relevância que eu poucas vezes vi na minha vida. Eles realmente se preocupam em fazer os matches relevantes, marcar as reunião certas, formar os grupos de trabalho. Eles chamam cada um dos líderes pelo nome na chegada do aeroporto. Tem noção?

Queria dar 2 exemplos pessoais, só para vocês se sentirem inspirados em se dedicar, conectar pessoas e gerar impacto, bele!? Eles estudaram o Mastertech, eles estudaram quais eram os meus objetivos. Eles marcaram reunião com as empresas que estavam passando por dificuldades em transformação digital e de alguma maneira precisavam de ajuda. Aí você pensa que eles querem catalizar só o diálogo entre essas gerações para gerar negócio e crescimento econômico de uma perspectiva mais capitalista! NÃO! Eles deram um jeito de me expor aos líderes que estavam fazendo política pública em seus países. Não duvidem se a gente tiver projetos no Paquistão e no México, só digo isso! 

Independente do que tudo isso possa desencadear, que com certeza é muita coisa, esse momento é um turn point na vida de muita gente. É uma discussão aberta na raça de diversidade, inclusão e mindset global. Você vai entender o islamismo com uma muçulmana que teve que se fingir de menino para praticar esporte. Você vai entender de sustentabilidade com uma mulher que largou a Europa e foi reciclar sabão em Porto Príncipe só com mulheres e crianças da comunidade. Você vai entender a situação da Grécia, pela perspectiva de um empreendedor grego. Você vai discutir educação com o ministro de desenvolvimento de Singapura, do lado do cara que foi conselheiro do Obama na Casa Branca. Você vai ser tornar um cidadão global.

Obrigada St. Gallen Symposium! #beyondwork #48sgs

PS. 1: Quem sabe nossas jornadas não se reencontrem no futuro?!

PS. 2: Nem tudo é perfeito, mas quase e está bem fácil de arrumar. Ainda é uma conferência na Europa, então tem estudante do mundo inteiro, mas que estudam na Europa e na América do Norte…quero e vou ver mais latino americanos que estão nas suas jornadas nos países em desenvolvimento ocupando esse espaço. Me aguardem!

PS. 3: Compartilhem e espalhem essas coisas bacanas por aí : )

Quais as melhores cidades para as mulheres empreendedoras? Por Dell.

No último domingo (19) foi comemorado o Dia Global do Empreendedorismo Feminino, data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o intuito de fomentar o potencial das mulheres no mercado de trabalho e nos negócios. Para celebrar a data, a Dell compartilha os resultados da pesquisa WE Cities, que classificou as cidades com maior capacidade de atrair e apoiar o empreendedorismo feminino, de acordo com: capital, tecnologia, talento, cultura e mercado.

O índice WE Cities pode ser usado como ferramenta de diagnóstico para ajudar a garantir a criação de políticas que possibilitem o sucesso das mulheres empreendedoras. No mundo todo, as taxas de empreendedorismo feminino estão crescendo mais de 10% a cada ano, o que mostra o potencial das mulheres para empreender e iniciar novos negócios nos mais variados mercados.

São Paulo está nessa lista e é uma das únicas cidades da América Latina a aparecer. Isso significa que estamos no caminho certo, mas ainda há muito a ser aprimorado. Segundo o estudo, a cidade de São Paulo é a primeira colocada quando o assunto é a frequência de eventos para mulheres empreendedoras. No entanto, apesar de ser a 12ª colocada em Tamanho de Mercado, a cidade ainda tem alguns pontos para amadurecer, tais como: Custo, Acesso e Políticas. O estudo apontou que a maioria das mulheres não tem acesso ao capital de risco e precisam recorrer às próprias economias ou aos familiares para começar e manter os seus negócios.