Mulheres “alfa”, a grande característica que define as mães millennials

Diante das fortes mudanças culturais que vem acontecendo, a percepção que se tem sobre as mães mais jovens está mudando enormemente. A tecnologia é um dos principais aliados.
Mulheres “alfa”, adaptáveis, independentes e multitasking. Estas são algumas das características que definem as mães modernas, as mais jovens, conhecidas também como mães millennials.
Vivemos tempos de grandes mudanças culturais em relação à percepção que antes (não muitos anos atrás) se tinha sobre as mulheres. Não são poucos os lugares do mundo onde se fala que estamos diante da “revolução das mulheres”. Uma revolução nascida no calor de um feminismo modelo Século XXI, que arrasta muitas das reivindicações do século passado mas com maiores demandas em matéria de igualdade de direitos, contra a violência é maior equidade econômica, entre outras demandas. Basta ouvir qualquer mulher que adere algumas destas reivindicações para se dar conta que tal fenômeno é possível graças às redes sociais e a tecnologia, que se tornou uma grande ferramenta aliada.

Com o dia das mães se aproximando, vale a pena entender melhor quem são as mulheres “alfa” e se realmente as mães jovens se sentem identificadas com esta definição.
O conceito de mulher alfa nasceu nos Estados Unidos para categorizar um segmento da população feminina caracterizado por ser independente e ter liderança, com mulheres sendo chefes em seus lares e trabalho. Mulheres ativas, líderes e seguras de si mesmas.
De acordo com a psicóloga Natália Parma, “na atualidade nos encontramos com mulheres que, graças às conquistas das gerações passadas e suas lutas, perguntas e buscas para inverter papéis que não eram cômodos, e independentemente de seu estado civil, mantém uma posição laboral e social igualitária com os homens, são mulheres emancipadas financeiramente”.

Michele Gonçalves, 37 anos, mãe de Fidel e Sales Manager da Real Trends -plataforma líder em ferramentas de análise e gestão para vendedores do Mercado Livre – confirma seu caráter de mulher alfa, “me sinto socialmente igual a um homem, com as mesma obrigações e direitos. Em casa não noto diferenças porque os dois contribuímos e fazemos tudo o que deve ser feito, sempre em condições de igualdade”.
Na mesma linha se encontra Ursula Krochik, 35 anos, quem está à frente da área de Marketing & Communications da mesma empresa. “Os papéis sociais já não estão definidos como antes, quando a mulher se ocupava dos filhos e cozinhar, e o homem de trazer dinheiro para o lar: todas as responsabilidades são compartilhadas. No meu caso, ambos trabalhamos e nos ocupamos de nossos filhos e da casa”, afirma Ursula, mãe da Mia e do Dan.
Um dos problemas que estas mães alfa mais enfrentam é o sentimento de culpa que sentem por ficar muito tempo fora de casa. Mas como resolvem?
“Supero a culpa com compensações. O tempo que passo com meu filho, como é reduzido, é de qualidade. Saímos, nos divertimos, fazemos muitas atividades juntos. São passeios, lanches e viagens que posso proporcionar graças ao trabalho”, afirma Michele.
Por sua vez, Ursula completa: “Eu creio que esse é o grande problema que nós, mães, temos. Vivemos com culpa, quando sabemos que nossos filhos estão perfeitos um tempo sem nós: brincando na creche, interagindo com seus amigos e professores ou com a pessoa que os cuida. É saudável tanto para eles, quanto para nós, ter atividades separados. Desta forma, quando voltamos a nos juntar, brincamos e nos divertimos muito”.
Como dito anteriormente, quem se converteu em uma grande aliada das mulheres, seja a nível coletivo como a nível individual foi a tecnologia. Para as mães de hoje, ter esse acesso para cuidar de seus filhos se tornou indispensável.
“A tecnologia me ajuda a viver um pouco do dia a dia do meu filho enquanto está na escola, através de fotos e vídeos que nos enviam. Além disso, me põe em contato com outras mães para que juntas possamos nos organizar e atender de forma extraordinária tudo o que nos pedem”, aponta Michele.
“Graças à tecnologia podemos estar mais perto deles. Por exemplo, do colégio me mandam notas por e-mail e nos compartilham fotos e vídeos do que fizeram durante a semana. Algo totalmente impensado há alguns anos, quando só existia o caderno de comunicações”, comenta Ursula.
A Real Trends é uma empresa totalmente ligada à tecnologia e às possibilidades que ela traz. Como uma startup tecnológica facilita a vida das mães? “Na empresa temos home office uma vez por semana e esse dia também posso estar mais perto dos meninos, ver quando voltam da escola e compartilhar um pouco de tempo com eles enquanto estou trabalhando”, confessa Ursula.

Para concluir, a psicóloga Parma resume: “A mulher (e a mãe) atual é autossuficiente e segura de si mesma, é uma líder nata, mesmo que isto não implique que não tenham sentimento de culpa e uma autoexigência internalizada desde suas próprias mães e avós. Não são mulheres maravilha, simplesmente é uma estratégia para poder cumprir com seus papéis e não descuidar da sua felicidade, a qual se alimenta do sucesso nas metas de cada área de sua vida, na permanente busca pelo equilíbrio”.
Evidentemente, depois de muitos anos da injusta predominância dos homens “alfa”, a grande característica que define as mães millennials se adequa perfeitamente a estes tempos e às mudanças que virão, em um futuro que é mais atual do que parece.

MTD: Mulheres na Tecnologia e no Direito

Em comemoração do dia internacional da mulher, a Associação Brasileira de Jurimetria reunirá um grupo de mulheres referência no mercado para tratar de assuntos atuais e importantes: direitos das mulheres, mulheres na tecnologia e no direito.

Parte da renda será destinada ao Bem Querer Mulher, movimento pela não-violência à mulher.

PALESTRANTES:

Alessandra Gotti – Presidente Executiva do Instituto Articule e Sócia Diretora de Hesketh Advogados

Camila Achutti – CTO MasterTech e colunista Época Negócios

Milene Farhat – Publicitária, membro da comunicação e pesquisa da ABJ

Garanta já seu ingresso pelo Sympla com 10% de desconto com o cupom CAMIS10 ♥

DÚVIDAS E SUGESTÕES: relacionamento@abj.org.br

O que é hospedagem de sites e como contratar a sua

Por Isabella Vicentin – Analista de Marketing e Parcerias da HostGator

Você sabia que antes de um site ficar disponível e online para ser encontrado na internet é preciso escolher uma hospedagem?

Não se preocupe! Se esse termo lhe parece estranho, é justamente para isso que estou aqui. Vou explicar o que é uma hospedagem de sites e te dar algumas dicas de como escolher a melhor opção, caso esteja pensando em criar um site. Vamos lá?

 

Antes da hospedagem

Antes de escolher a hospedagem, você precisa escolher um nome para o seu site. É essencial que a escolha do nome seja feita com muita dedicação e, em alguns casos, com muito estudo sobre o assunto.

O nome escolhido é mais conhecido como Domínio, que é a URL ou o endereço do seu site na internet e que servirá para ser encontrado pelas pessoas. Veja o exemplo abaixo:

Caso tenha alguma dúvida de como escolher a melhor opção para o seu futuro site, separei um artigo que explica exatamente o que é um domínio e como é possível registrá-lo.

Após a escolha e registro do domínio do seu site, chegou o momento de escolher onde ele será hospedado. Mas antes, vamos entender o que é, de fato, uma hospedagem.

 

O que é hospedagem de sites?

Para um site ficar online, ou seja, disponível para todos acessarem, é preciso que ele esteja “armazenado” em algum lugar. Já que na internet, dados ocupam espaço virtual. E esse lugar, chamamos de hospedagem.

Quem oferece esse serviço, para indivíduos ou empresas com sistemas on-line, são as empresas de provedores de hospedagem. Elas disponibilizam espaço em seus servidores e acesso à internet para que seus clientes possam guardar imagens, vídeos, informações ou qualquer outro conteúdo acessível através da web.

Ou seja, a hospedagem é um espaço no servidor onde todos os conteúdos de um site ficam armazenados e disponibilizados na internet durante 24 horas por dia, todos os dias da semana.

 

Tipos de hospedagem

Agora que você já sabe o que é uma hospedagem de sites, vai conhecer os principais tipos. Assim, fica mais fácil de escolher a melhor opção para o seu futuro site.

Hospedagem Compartilhada

Na Hospedagem Compartilhada, vários sites compartilham o mesmo servidor. Ou seja, dentro de um mesmo servidor, cada site tem um pequeno espaço. Por conta disso, sua principal vantagem é o custo baixo.

Esse serviço é ideal para blog pessoais, pequenas empresas e lojas virtuais que começaram a construir sua presença online agora, e tem um orçamento mais baixo.

Mas mesmo compartilhando um único servidor, cada conta de hospedagem possui seus próprios recursos para armazenamento do site.

Servidor Dedicado

Diferente da Hospedagem Compartilhada, o Servidor Dedicado é um serviço de hospedagem exclusivo. Porém, exige um conhecimento mais avançado para administrá-lo. O que permite controle avançado dando possibilidade de realizar configurações de acordo com as necessidades do seu site.

O serviço é ideal para empresas que pretendem hospedar muitos sites em um mesmo servidor, lidar com grandes volumes de tráfego/acessos, armazenar grandes quantidades de dados ou implementar seus próprios protocolos de segurança.

Uma das vantagens é que não existe necessidade de compartilhamento de recursos, já que o usuário será o único a utilizar, e é mais seguro. Além de estar disponível nas opções Windows e Linux.

Servidor VPS

O Servidor VPS (Servidor Virtual Privado), basicamente, se diferencia por possuir mais recursos do que uma Hospedagem Compartilhada. Além de ser financeiramente mais acessível do que um Servidor Dedicado. Também disponibiliza controle total e personalização do ambiente do servidor.

O serviço é ideal para sites que tiveram um maior volume de tráfego e já não cabe mais em uma Hospedagem Compartilhada.

A maior vantagem é a autonomia no momento de configurar o sistema (acesso root) e ainda contar com a possibilidade de escolher configurações personalizadas.

Agora que você já sabe melhor sobre a diferença entre esses dois tipos de hospedagem, ficou mais fácil de contratar esse serviço de acordo com as necessidades do seu site, não é mesmo? Mas, não se esqueça de escolher um provedor de hospedagem confiável. E principalmente que não vá te deixar na mão depois de pagar pelo serviço. É fundamental escolher uma empresa que preze pela qualidade do seu site e esteja sempre presente para tirar suas dúvidas e que te ofereça as melhores ferramentas para que seu site, cada vez mais, seja reconhecido na internet.

 

Separei um conteúdo, com 10 dicas para que você possa escolher seu fornecedor de hospedagem web sem medo.

Bons negócios!